Videocast Jamboree Jamaica #3- Reggae na Bahia (com Lazzo Matumbi)





O convidado dessa terceira edição do Videocast Jamboree Jamaica é o cantor, compositor e ativista de movimentos anti-racismo, Lazzo Matumbi.



"Ícone da música baiana e brasileira, não há na Bahia que seja antigo e ligado à ancestralidade que não o conheça. Muitos o colocaram de lado, como ele mesmo conta nessa live. Para ter uma dimensão da grandeza musical de Lazzo Matumbi, ele foi convidado por Jimmy Cliff a participar de sua banda.

Nesse bate papo de mais de 2 horas, Lazzo fala muito sobre preconceito e o embranquecimento da cultura negra para servir aos interesses da mídia.



A entrevista é longa, mas se você estuda a questão da africanidade e sua musicalidade, você deve assistir."

 (Alexandre De Lucca)


Videocast Jamboree Jamaica #2- Reggae no Maranhão (com Ademar Danilo)





Nesta edição do videocast Jamboree Jamaica o tema é "O Reggae no Maranhão".

E para falar sobre o surgimento da febre jamaicana em terras maranhenses, do império das radiolas, da conexão entre lendas da Jamaica com a capital São Luis, das históricas figuras locais, a evolução disso tudo ao longo dos anos e de todo o contexto social do ritmo de Jah na Jamaica Brasileira, receberemos o radialista, pesquisador e diretor do museu do Reggae no Maranhão, Ademar Danilo.

Videocast Jamboree Jamaica #1- Reggae e Política





Salve regueiros! Essa é a primeira edição do Videocast Jamboree Jamaica. O tema de estreia vem a calhar com o momento que passamos. Reggae e política. O reggae é de esquerda ou direita? Artistas jamaicanos já participaram de campanhas políticas de ambos partidos, no entanto aqui explicamos qual o contexto desse apoio dentro do cenário cultural e político na Jamaica.

Curtiu? Deixe seu like e seu comentário! Vocês são nosso combustível para continuarmos neste e outros projeto!

Com a palavra, John Lennon: "O REGGAE É FANTASTICO!"



Com a palavra, John Lennon:
"O REGGAE É FANTASTICO!"
O relacionamento do fab-four com a música jamaicana é antiga e vem ainda dos dias de juventude da turma de Liverpool.
Apesar de desconhecida da grande massa de fãs do grupo, eles nunca esconderam tal influência, porém o mundo queria saber outras coisas daqueles jovens britânicos que mudaram os panoramas do mercado da música mundial entre os anos 60 e 70.
Alguns exemplos dessa conexão entre Beatles e Jamaica;
George Harrison sempre foi grande fã de Bob Marley e fez questão de conhecer o lendário fundador dos Wailers no backstage de um show no Roxy Club em 1975. A influência musical do Reggae na obra de George pode ser observada em músicas como "Save The World", que é nitidamente inspirada no shuffle jamaicano.
Ringo Starr sempre teve o Reggae como ritmo cotidiano em sua vida, fã declarado do grande rootsman Burning Spear, foi o disco Man in The Hills que ele deu de presente para seu filho Zak Starkey, como porta de entrada para o ritmo de Jah. A paixão e envolvimento com o Reggae por parte do filho de Ringo ganhou níveis maiores que a do próprio pai, uma vez que ele, hoje, encabeça o projeto batizado de Trojan Jamaica. Espécie de selo dedicado a regravar velhas lendas da ilha e também a encontrar novos talentos ao redor do mundo.
Paul McCartney estreitou laços ao longo dos anos 70 e 80, com o mago Lee "Scratch" Perry. Interessado pelas produções que saiam do estudio Black Ark no auge da criatividade de Perry, Paul e sua esposa Linda, enviaram faixas do disco de estreia dela, para que Perry pudesse oferecer um pouco de sua magia ao disc. Lee também saiu em defesa do ex-beatle quando ele foi preso no Japão por porte de ganja em 1980, escrevendo uma carta ao primeiro ministro nipônico para que reconsiderasse a prisão do cantor.
John Lennon talvez tenha sido o mais militante pró reggae dos 4 Beatles. Durante toda a década de 70, em diferentes shows e entrevistas, ele gostava de frisar a importância do ritmo jamaicano e por vezes, refazia seus clássicos em versões ala Jamaica - como pode ser escutado no audio disponível no youtube, onde em 1972, no show beneficente do comediante Jerry Lewis , ele relê Give a Peace Chance em Reggae e saúda a musica vinda da ilha.
E recentemente descobrimos em um arquivo de uma TV Francesa esta rara entrevista de 1975 com John Lennon.
A traduzimos, legendamos e aqui disponibilizamos esta pequena prova da relação dos Beatles com a Jamaica, através da defesa que John faz não só do Reggae mas também de todo o leque musical que o antecede.